Os benefícios das frutas oleaginosas

As sementes são, em sua maioria, sempre jogadas fora antes ou após consumir alguma fruta, mas é importante saber que nem sempre elas devem ser dispensadas. Um exemplo clássico é da fruta oleaginosa, que, na verdade, é uma semente comestível riquíssima em nutrientes. Entram, nessa tipo de fruta, as amêndoas, avelãs, castanha-de-caju, castanha-do-Pará, nozes, pinhão e pistache.

emagrecer

Os benefícios dessas sementes são diversos. “Elas são importantes antioxidantes e protegem contra doenças do coração. Além disso, por terem vitamina E, são ótimas para a formação dos glóbulos vermelhos e do tecido muscular”, informa a nutricionista da Atual Nutrição, Cátia Medeiros.

Cerca de 60% das frutas oleaginosas são compostas por lipídios, um tipo de gordura, e mesmo possuindo um alto teor calórico, seu consumo ainda é indicado. “Elas apresentam gorduras mono e poli-insaturadas, conhecidas como gorduras boas, que são essenciais para o bom funcionamento do organismo. Além disso, esses alimentos também têm proteínas de alto valor biológico, vitamina E e micronutrientes, como o selênio, cobre e o magnésio”, detalha Cátia.

Por serem fonte de gorduras insaturadas e poli-insaturadas, as frutas oleaginosas agem no organismo como antioxidantes, ajudando na diminuição do colesterol LDL e aumentando o colesterol HDL, evitando assim a formação de placas de gordura no sangue. A nutricionista da Atual Nutrição informa quais os benefícios e ação de cada uma delas no corpo.

Nozes e amêndoas: são as fontes mais ricas em vitamina E, mas além disso, também são ricas em potássio e vitaminas do complexo B.

Avelãs: além da vitamina E, são também fontes de cálcio.
Castanha-do-Pará: excelente fonte de ômega-3 e selênio, nutrientes essenciais para o bom funcionamento do coração e do cérebro, respectivamente.

Amêndoa: ajuda no processo de emagrecimento. Porém, é preciso ter cuidado com a quantidade, já que a amêndoa, como todas as outras frutas oleaginosas, é rica em calorias.

As únicas contraindicações para o consumo dessas frutas são para pessoas alérgicas e crianças menores de um ano. Já sobre a melhor maneira de consumi-las, Cátia Medeiros informa que são ótimas como lanche intermediário, para dar saciedade e segurando assim os ataques de fome fora de hora.“Essas frutas também são bem-vindas em saladas, no iogurte e até mesmo no preparo de vitaminas, enriquecendo a mistura com boas gorduras”.

Como dica final, a nutricionista passa uma receita onde essas frutinhas caem muito bem.

Risoto de quinoa com cenoura e castanhas

Ingredientes:

  • 350g de quinoa em grãos
  • 2 cebolas médias
  • 600 ml caldo de vegetais com temperos como cebolinha, salsinha, manjericão (caldo caseiro)
  • 200g de cenoura
  • 1 tomate cortado em cubos
  • 100g de castanha-de-caju quebradinha
  • Sal a gosto

Modo de preparo:

Corte a cebola em fatias finas e refogue-a com um pouquinho de água. Junte a quinoa e esquente até que os grãos absorvam todo o líquido; Junte o caldo de vegetais aos poucos, coloque um pouquinho de sal e cozinhe em fogo baixo até secar a quinoa. Tempere com sal e noz moscada; Rale a cenoura, pique o tomate e misture delicadamente com a quinoa juntamente com a castanha; Enforme a quinoa em uma forminha e coloque no prato. Sirva com salada verde ou acompanhado de algum tipo de carne/proteína.

Deixe o seu comentário!